pt-brenes 9:00 - 18:00 (UTC -3)
pt-brenes 9:00 - 18:00 (UTC -3)

Descomplicando – Glossário de termos do Marketing Digital

No Marketing digital, da mesma forma que em muitas outras áreas de trabalho, existe uma quantidade importante de termos e conceitos específicos. Por isso, conhecê-los e dominar o seu uso é imprescindível para compreender o funcionamento deste mundo tão particular e as diferentes partes dele.

Para isso, pensamos em uma série de conceitos que serão de muita ajuda pois, mesmo que não utilize todos diretamente, mais cedo ou mais tarde, aparecerão em alguma parte e é importante entender a que se referem. Então, vamos entender quais esses termos do Marketing Digital?

Alguns termos do Marketing Digital

Affiliate Marketing: é um modelo para comercializar produtos, no qual são os afiliados que geram as campanhas de mídia e leads ou vendas, movidos pelo interesse de receber uma comissão rentável, em troca das ações feitas. Isto é, por exemplo, delegar a venda de um produto em uma rede de pessoas afiliadas que irão divulgar um determinado produto e que depois irão receber o devido pagamento.

Blog: é uma página web, composta por posts e atualizada frequentemente, com o objetivo de manter uma publicação cronológica com uma determinada regularidade. Os blogs são uma excelente forma de atrair usuários, por meio de conteúdo de valor para eles, com o objetivo fundamental de converter leads em vendas.

Buyer persona: é uma ferramenta que nos permite definir em detalhe o nosso público alvo, gerando assim um perfil específico dele que, por sua vez, represente um segmento de clientes e potenciais clientes. Ao definir o buyer persona, consideraremos muitos aspectos relevantes para efetuar depois promoções e materiais de divulgação completamente adaptados àquelas características recolhidas. Para poder definir um segmento, deverão ser considerados dados demográficos, indicadores de comunicação, necessidades, gostos e interesses, entre outros. Com esses grupos determinados, será muito mais eficiente o direcionamento de anúncios e peças publicitárias.

CAC: Custo de Aquisição por Cliente. É o cálculo feito para saber qual é o custo de marketing associado à ação de conseguir cada cliente. Para isso, é considerado o custo da campanha dividido pela quantidade de clientes conseguidos. Conhecer o CAC é muito importante para saber se as campanhas de marketing lançadas foram rentáveis e geraram o resultado esperado.

CPA: Custo por Ação. Custo por Ação ou CPA é um modelo de comissão no qual o afiliado ganha ao gerar uma ação, seja ela uma venda ou um registro, ou seja, uma conversão. Certamente, um dos modelos mais comuns de comissionamento. Os modelos de CPV (Custo por venda) e de CPD (Custo por Download) são tipos de CPA. Esta opção pode ser interpretada como o objetivo máximo, já que só haverá comissão para o afiliado, quando uma pessoa completar o objetivo final da campanha.

Para a marca divulgada é também uma ferramenta interessante, pois com ela consegue identificar qual é o custo associado a uma ação que deseje que o público faça. Obviamente que, para isso, deverá possuir as ferramentas de medição corretas para obter os dados esperados.

CPC: Custo por Clique. É o valor de comissão que um afiliado recebe por cada clique que as pessoas fizerem sobre os anúncios que a marca divulgar. Ou seja, cada clique que uma pessoa fizer no anúncio e este a direcione ao site da marca divulgada. É uma das formas mais comuns de rentabilizar um anúncio.

Mais uma métrica para a empresa saber o custo de uma campanha e medir assim o resultado dela, o que permite entender o interesse do público no produto. No caso, o cálculo feito é custo total da campanha dividido pela quantidade de cliques obtidos.

CPM: Custo por mil impressões. É o valor que recebe o afiliado, como pagamento, a cada mil impressões ou visualizações que um anúncio tiver. Conta-se como uma impressão toda vez que um link patrocinado é exibido, mesmo que a pessoa não tenha clicado nele. É um método muito utilizado e o objetivo principal é o posicionamento da marca, pois o foco dele é mostrar o anúncio na Internet, independente da quantidade de cliques.

Como pode ser facilmente concluído a partir da definição de CPM, será de real importância o fato do site ter muito tráfego. Pois será dessa maneira que conseguirá que o anúncio seja visto maior quantidade de vezes.

CRM: Customer Relationship Management. É a sigla utilizada para oferecer soluções para uma boa gestão do relacionamento com os clientes, incluindo o armazenamento de informações e dados.

CTR: Click Through Rate (otimização da taxa de conversão). É um indicador percentual que serve para visualizar a relevância dos anúncios para o público determinado. É uma forma estruturada de melhorar o desempenho de um site e assim aumentar o tráfego nele. O cálculo é feito da seguinte maneira: quantidade de cliques dividido pela quantidade de impressões e logo multiplicado por 100, para ter o valor em porcentagem.

Esse cálculo tão simples é de muita importância pois ele representa, de alguma maneira, a qualidade dos anúncios que tivermos feito. Já que a lógica dele é que, a maior CTR significa que é maior o interesse das pessoas na informação publicada.

CPV: Custo por Visualização. Esta ferramenta do Marketing é indicada, principalmente, para vídeos, já que se define como o valor que o anunciante tem disposição de pagar, toda vez que um vídeo for assistido por alguém. Pelo que difere bastante de outras técnicas, já que aqui o que conta é a ação de play no vídeo. Quer dizer que nem cliques nem pessoas que entrarem em uma página serão motivo de pagamento ao afiliado, mas unicamente o fato de que os potenciais clientes assistam ao vídeo postado.

CPL: Custo Por Lead. Essa modalidade faz com que o afiliado receba comissão por cada vez que um usuário, vindo do seu tráfego, realizar o cadastro na lista de e-mail ou qualquer outro formulário estipulado. Motivo pelo qual é especialmente utilizada pelos afiliados, já que se entende que o principal objetivo dela é recrutar registros ou vendas.

Conversão: fala-se de conversão quando um usuário, provável futuro cliente, realiza uma determinada ação que a empresa deseja. As ações possíveis são variadas, desde preencher algum formulário ou cadastrar-se para receber uma newsletter, até efetuar uma compra propriamente dita.

CTA: um CTA, como o indica o seu nome “Call-to-action” é literalmente uma chamada para ação. Isto é, algo que motive o usuário a fazer alguma determinada ação esperada pela empresa. Seja um botão, um banner ou um texto com links. A característica evidente dos CTA é a mensagem de incentivo, pelo que normalmente são utilizados verbos no imperativo. Clique aqui, saiba mais, aproveite esta oportunidade, são alguns exemplos dos mais usados de CTA.

E-book: o significado literal é de livro eletrônico, mas aplicado ao Marketing digital, é um material informativo-educativo sobre algum assunto específico. Eles costumam ter uma boa extensão pelo que, habitualmente, não se encontram como posts dos blogs, mas em formato de arquivo para baixar. Os e-books são ferramentas privilegiadas para conseguir leads.

Guest post: é um post de um blog que tem a particularidade de ser escrito por alguma pessoa convidada, diferente dos autores regulares. Para escrever esses artigos, costuma ser chamado alguém relacionado com a área da empresa ou que, mesmo indiretamente, consiga trazer algum conhecimento de interesse para o público do blog.

Heading tags: é um recurso utilizado na programação em HTML para organizar os títulos e subtítulos das páginas, chamados H1, H2, H3, e assim por diante. Sendo a mais importante delas a tag H1, pois é utilizada por Google para posicionar o site entre os resultados de uma busca.

Hiperlink: é um tipo de conteúdo clicável que cumpre a função de direcionar o usuário para outra página, site ou até mesmo para outra parte da mesma página. O hiperlink pode ser inserido em texto, em alguma frase relevante de algum post, botão ou imagem.

Lead: um lead é toda pessoa que tenha deixado os seus dados, por meio de um formulário de conversão, o que significa, para a marca, que essa pessoa é um potencial cliente, devido a ter mostrado interesse ao fornecer aquela informação. O primeiro passo de qualquer site ou blog é ganhar visitantes (tráfego), o segundo passo é converter esses visitantes em leads e, depois, esses leads em clientes.

Link externo: um link é externo, quando cumpre a função de direcionar para páginas de outro domínio.

Link interno: um link, em uma página, é interno quando direciona para outras páginas dentro do mesmo domínio.

Marketing de conteúdo: é uma parte do conhecido Inbound Marketing e está baseada na criação de conteúdo para atrair o interesse de potenciais consumidores para o nosso negócio.

Meta description: é a descrição, relativamente breve, sobre uma página, que aparece nos resultados de busca. Tem o objetivo de resumir o conteúdo da página, melhorando a atração de visitantes, por meio do uso de palavras-chave.

Meta title: é o título de uma página ou post que sairá nos resultados dos buscadores. É importante em SEO, pois deve estar escrito corretamente com as devidas palavras-chave, ajudando assim no posicionamento.

Remarketing: é exibir anúncios, depois da visita dos usuários a um site. Um claro exemplo disso é o fato de que, depois que uma pessoa busca uma determinada informação, começarão a aparecer anúncios de produtos relacionados, em banners, de qualquer outro site que a pessoa visitar.

ROI: Return on Investment é o nome dado à métrica que determina a relação entre o dinheiro ganho e aquele que foi investido em um trabalho de Marketing.

Esses são só alguns de tantos conceitos que podemos encontrar na área do Marketing Digital, mas, com certeza, são bem importantes e recorrentes, nesta profissão. Se quiser entender mais a fundo como funciona esta área profissional, acompanhe os nossos posts no blog e nas redes sociais.

Então, você já tem muitas ferramentas interessantes do Marketing digital para se aventurar na afiliação. Que tal fazer parte da nossa equipe, tornando-se um grande afiliado nosso? CADASTRE-SE AGORA!