pt-brenes 9:00 - 18:00 (UTC -3)
pt-brenes 9:00 - 18:00 (UTC -3)

Como comprar tráfego na internet

Se você tem um site ou blog, provavelmente, já terá ficado preocupado com a questão do tráfego, pois as conversões que ocorrerem depois dependerão diretamente dele. Então, com certeza, você já deve ter procurado por diferentes técnicas para atrair pessoas e assim aumentar exponencialmente o seu tráfego. Ao que devem ter aparecido dois caminhos para escolher: gerar tráfego orgânico ou comprar tráfego? Como falamos em outra postagem, existem muitas ações para aumentar o tráfego orgânico. Mas se optarmos pela compra? Hoje vamos mostrar quais são as principais opções, e algumas características delas, e como comprar tráfego na internet.

Opções para compra de tráfego

Para comprar tráfego para um blog, é necessário que você recorra a ferramentas de mídia pagas, sistemas de afiliados, entre outras. Você terá que ver, dependendo do que precisa, qual será a maneira mais adequada.

Google AdWords

Entre as opções disponíveis para campanhas de anúncios online, a ferramenta pertencente ao Google é a mais utilizada. E isso porque tem um alcance muito grande, oferece vários formatos de anúncios, como por exemplo, links patrocinados, vídeos e banners, e porque permite fazer uma minuciosa segmentação. Mas, claramente, há outro motivo que explica a preferência da maioria, e é o baixo custo em investimento.

Facebook e Instagram Ads

Da mesma forma que o Google AdWords, o Facebook e o Instagram Ads são ótimas alternativas porque têm um público realmente abundante, de todas as idades, com diferentes gostos e interesses e de todas partes do mundo.

Além da quantidade de pessoas que fazem parte dessas redes sociais, o que faz ainda mais atrativa a sua utilização é o altíssimo poder de segmentação, pois têm muita informação dos usuários. Assim, você consegue armar grupos de pessoas bem específicos e dedicar os esforços necessários em campanhas diferentes, para cada um deles.

Twitter Ads

Se compararmos Twitter Ads com Facebook e Instagram Ads, podemos ver que o primeiro tem algumas restrições. Já o fato do Twitter não possuir tantos usuários como as outras faz com que o público ao que está dirigido seja mais limitado. E isso, definitivamente, leva a um aumento dos custos. Mas uma vantagem que tem é que permite segmentar ainda muito mais do que com o Facebook ou o Instagram. Isso porque você pode utilizar hashtags, direcionando anúncios unicamente para aqueles que utilizarem essa hashtag.

Uma característica que vale lembrar é que os usuários do Twitter gostam da objetividade, pelo que isso terá que ser aplicado na segmentação.

LinkedIn Ads

Diferentemente das ferramentas vistas até o momento, o LinkedIn Ads é bastante cara. Mas isso pode se explicar pelo tipo de segmentação que é possível fazer com ela, já que dá para delimitar por localidade, cargos, funções, etc. Lembrando que é ideal para chegar a empresas e profissionais das mais variadas áreas. Para isso, são utilizados conteúdos patrocinados (Sponsored Contents), anúncios de textos (Text Ads) e mensagens patrocinadas (Sponsored Mail).

Bing e Yahoo Ads

O Bing e o Yahoo são motores de busca, como o Google, mas tem muito menos preferência de uso, pelo que, evidentemente, chegam a um público bem menor do que o Google. Mesmo assim, há quem escolha estas ferramentas para garantir o maior alcance possível, conseguindo mais visibilidade. Por não ser os principais motores de busca, têm a vantagem de serem bastante econômicos. Além de que, por ser o Bing uma ferramenta Microsoft associada a Yahoo, todos os anúncios feitos nele sairão também no Yahoo.

Rede de afiliados

As redes de afiliados são mais uma forma interessante para conseguir tráfego. Elas, por meio de milhares de sites associados, anunciam a sua marca. Seja em blogs, portais de notícias ou redes sociais. A vantagem de usar um programa de afiliados para divulgação é que a marca só terá que criar o material de marketing e repassá-lo aos afiliados para que eles façam o trabalho de promoção e venda. Trazendo assim o tráfego para o seu site ou blog.

Algumas considerações sobre o assunto

– Você pode estar pensando qual a utilidade de tantas ferramentas alternativas, tendo o Facebook que é um meio de comunicação massivo. Vamos explicar isso. Uma desvantagem que pode apresentar o Facebook é que limita bastante as temáticas sobre as quais podem ser feitos anúncios. Há o que é chamado de “nichos proibidos” para o Facebook, como bebidas alcoólicas, derivados do tabaco, armas, produtos para adultos, apostas com dinheiro, entre outros. Isso levou à invenção de novos métodos para divulgar produtos que não podiam ser vendidos nessa rede.

– Depois de ter desenvolvido as estratégias para a compra de tráfego e de ter feito o investimento necessário para isso, o trabalho não termina por aí. É imprescindível fazer um acompanhamento detalhado da evolução dos processos. À medida que você for implementando ações, deverá acompanhar o resultado delas. Com a ajuda do Google Analytics, ou de alguma outra ferramenta para isso, veja o que vai acontecendo com todo esse tráfego que comprou. Isso é importantíssimo para saber se essas pessoas se convertem em leads e, posteriormente, em clientes.

Neste post, vimos resumidamente alguns aspectos fundamentais para compreender como funciona a compra de tráfego, no caso de escolher essa alternativa. Há muito mais para aprender ainda, mas com isso dá para ter uma ideia geral de como é. Dependendo de como for o seu empreendimento, você poderá optar por dedicar esforços e investimentos na geração de tráfego orgânico, por meio do SEO, ou investir na aquisição de tráfego pago, agora que já tem a informação necessária e sabe como comprar tráfego na internet.

Trabalhe na divulgação do seu produto e consiga um bom posicionamento do seu site, além de uma interessante quantidade de visitas que permitam você chegar a ter uma boa lista de clientes.

Você ainda não é afiliado nosso? Cadastre-se agora e faça parte do nosso time!